domingo, 26 de março de 2017

Convite especial

Eu acredito na vida após... um amor desfeito.
Porque sei que pra tudo nesta vida tem um jeito.
Então “bora” viver de novo. É pra frente que se anda.
Pra um amor morto, um novo amor posto!
E pode apostar que funciona. Deixa pra lá o que já foi.
A vida “é trem bala”, como já disse aquela canção
E passa oferecendo carona. Aceite, pra também ser aceito.
Vamos tocar em frente sem olhar pra trás
Porque os dias passam num “zás” e num piscar de olhos,
Tudo jaz!
Se a vida chegar em forma de vinho, não beba só um cálice não.
Beba todo o litro e deguste junto de alguém
Que se embriague de paixão também
E se a garrafa se esvaziar, peça logo outra pro garçom!
Viva intensamente cada momento de um amor profundo.
Só assim se sai do poço. Só assim se sai do fundo.
E isto não é um conselho. Isto é um convite.
Um convite especial.  Não hesite!
Se agarre em cada nova chance que a vida lhe der.
Pois, se você não quiser, ou se alguém não lhe quiser,
A vida vai achar rapidamente alguém que quer!
Não ande devagar. A vida tem pressa!
Mas, “leva um sorriso pois, você já chorou demais”.
Aceite este presente que está recebendo hoje
Pra viver agora, intensamente o "agora"!
E saia de cima deste muro
E esqueça o que já foi. 
Porque o melhor momento da vida
É este momento presente que a vida nos apresenta.
E o passado?  Bem...
O passado não tem futuro!

Percival Percigo Gomes




quinta-feira, 16 de março de 2017

Vazio Preenchido


Hoje miro em teus olhos e sorrateiro entro no teu peito
E passeio pelo teu coração mesmo sem permissão.
Atrevidamente me atrevo à vagar em teus pensamentos.
E eis que, pasmo, acho uma confusão de sentimentos.
Sonhos e desejos misturados com medo e solidão.
“Um lado carente dizendo que sim “ para tudo
E um lado coerente e crente, dizendo que não!
Tua cabeça cheia de vontades atrevidas
Teus olhos, sem brilho e um coração vazio de vida.
Não sei em que esquina da vida você virou e eu segui reto.
Ironicamente!
Você, querendo ir pra bem longe de mim
Mas, querendo me manter sempre por perto.
Só sei que hoje temos algumas coisas em comum
Porém, eu vou por outro caminho e você vai por um.
Tenho muitas perguntas mas, não resposta pra nada.
Não sei se isto é uma libertação ou uma cilada.
E quando te olho nos olhos não sei se choro ou sorrio
Diante deste imenso vazio. 

Porém,
Para se preencher este vazio que tomou conta de ti.
Deixo aqui uma proposta,(Se é que isto te importa:)

O da tua cabeça, preencha com pensamentos bons.
O das tua mãos vazias, preencha com as minhas.
E pro vazio que ocupa um espaço imenso no teu coração
E também no teu espirito, só há um jeito de ser preenchido:
Com o amor de Jesus Cristo!

Percival Percigo Gomes



domingo, 12 de março de 2017

"J" em movimento


Minhas filhas não atiram o pau no gato.
Minhas filhas têm bom coração.
Minhas filhas não têm medo da cuca 
E nem do bicho papão.
Minhas filhas valem mais que ouro e prata.
Minhas filhas têm bom sentimento.
Minhas filhas são jóias lapidadas.
Minhas filhas não são estáticas 
Elas têm um brilhante futuro 
E seguirão por uma boa rota.
Minhas filhas se escreve com "Jota".
Chegaram em minha vida na hora "H"
Do meu sentimento.
Elas são belas, são cores da aquarela
São poesia em prosa , versos e pensamentos.
Poemas que se renovam à todo momento.
Elas brilham no escuro pois, trazem na alma a luz
Do Nosso Cristo Jesus,
Minhas filhas têm talento
Minhas filhas são "J" em movimento

Percival Percigo Gomes

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Daquela você

Daquela você

Hoje me peguei de surpresa, pensando nos nossos “ontens”.
Quando, entre um beijo e um sorriso, fazíamos planos pros “amanhãs”.
Havia dificuldades sim. Havia problemas sim
Mas, nada nos impedia de comer pizza e de brindar momentos: tim! tim!
Íamos pro trabalho todos os dias confiantes que tudo daria certo.
Mas sem nenhuma ilusão pois, sabíamos que com a vida
Não se brinca não!
Íamos de busão, íamos de bike mas, com sorriso no rosto.
Afinal, nossa vida tinha muita cor e um amor cúmplice e franco.
E quando, Deus resolveu abençoar, saímos do vermelho,
Deixamos de ver a coisa preta e passamos a andar de carro branco!
Ficamos um tempo vendo tudo azul e vivendo uma vida cor-de-rosa.
E mesmo a vida não sendo um mar de rosa,
Tínhamos lá nossos dias de vento em popa!
Então saíamos pra comprar sapatos e roupas.
Quando eu chegava do trabalho, lá estava você
Preparando o jantar com um sorriso na boca e um certo brilho no olhar
E só de te olhar ali, suada naquela cozinha quente
Brigando com as crianças...correndo naquele sol quente do horário de verão,
Geeeeente! Quanta emoção!
Eu brilhava de alegria e gratidão por ter recebido você de presente.
Aos domingos íamos à igreja com as crianças ser gratos a Deus
Pelas bênçãos recebidas e louvar à Ele com amor e fé.
Pois, quando Deus nos dava uma "mão", sabíamos que tudo ia dar pé.
De repente, as coisas ficaram esquisitas e fora de ordem.
Então perdemos um pouco o rumo e saímos um pouco do prumo
Muita coisa mudou e muitas ficaram estranhas e amargas.
E hoje eu sinto falta daquela mulher que me tinha como tudo
E não me trocaria por nada.
Daquela menina que chorava nos meus ombros quando as coisas apertavam
E que eu carinhosamente contra o peito apertava.
Sinto falta daquele “eu” que te tinha como a única
Entre todos os vestidos, saias, meias e túnicas.
Sinto falta daquele “nós”. Sinto falta dos nossos braços
E das nossas pernas se entrelaçando em nós...
Sinto falta do teu “por que?”, do teu “pra que?”
Sinto falta até das suas implicâncias, do teu creme,
Dos teus bolos e até da tua TPM
Sinto falta daquele "quê"
Sinto falta daquela você!


Percival Percigo Gomes 

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Paixão adormecida


Aquela paixão não morreu. Estava apenas adormecida.
E foi o beijo da suave brisa d’uma noite de outono
Que a despertou de novo daquele longo sono.
Foi o brilho das luzes do céu e a placa daquele motel
Que me fez lembrar daqueles teus lábios de mel e fel.
Foi o banco daquela praça que me mostrou
Que paixão assim não passa 
mas, ultrapassa o tempo e o espaço
E me faz querer de novo me derreter de prazer
No calor dos teus abraços!
De repente, tudo volta em minha mente.
Deixando minhas pernas bambas e minhas “partes “ quente...
Então descubro que minha razão estava errada
E que na verdade, meu coração não mente.
Então, tô eu aqui de novo ouvindo música romântica no computador
Querendo viver contigo aquele louco amor.
Amor louco, varrido, tarado e perdido.
Amor proibido(?) e com sabor de pecado.
Quero você de novo! Em cima, em baixo e por todos os lados!
Dentro dos quartos, nas esquinas da vida
Ou no banco daquele carro alugado.
Aquela paixão não morreu! Pra ela não existe 2 de novembro.
Ela tá viva dentro de mim de janeiro à dezembro.
Ela se despertou dentro de mim outra vez.
E, desta vez, com maior desejo e furor.
Pra deixar de ser paixão e se transformar
Em um ardente e eterno amor!
E você? O que me diz? Quer viver comigo este amor à fundo?
Ou quer que eu o deixe cair de novo em sono profundo?

Percival Percigo Gomes






sábado, 1 de outubro de 2016

Aconteceu assim (Jamille e Jasmine)

Aconteceu assim (Jamille e Jasmine)

Vocês chegaram no espaço do meu tempo na hora “jota”.
Vieram à luz e encheram de luz a minha vida
Que se encontrava apagada e tão monótona.
Naquelas manhãs de agosto e novembro,
Vocês venceram a barreira dos NOVE!
Saltaram do ventre para chorar ao respirar o ar da Terra.
E então se fez paz, tudo aquilo que era guerra.
E no soar dos vossos choros, o mundo conheceu um novo tesouro.
O mundo ouviu, em tom de messe, uma nova e confortante prece!
E estes dias foram abençoados e a lua dançava de alegria juntamente com o sol.
Os sinos dobraram e o anjos anunciaram estes nascimentos em si bemol!
Vocês chegaram! Minhas filhas! Chegaram! Chegaram minhas filhas!
Aconteceu assim naquelas horas e naqueles meses.
Em fantasia, no bico de uma cegonha, vocês chegaram
Na real, entre doces dores e lágrimas de emoção, ao meu mundo transformaram!
Agora, minhas filhas queridas, em cada momento da minha vida,
Agradeço a Deus pela luz dos olhos de vocês. Por estes sorrisos que me trazem tanta alegria
E pela chuva de benção que de vossas almas inocentes irradia!
E é por isto tudo que o sorriso do meu rosto nunca sai
Pois, sei que Deus colocou vocês no mundo
Pra que em cada segundo da minha vida
Eu sinta na alma o orgulho de também ser pai!
Então, tanto em poesia quanto em oração,
Eu digo de todo coração:
Obrigado filhas! Obrigado Pai!


Percival Percigo Gomes

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Romântica aquarela!

Hoje eu acordei com saudade!
Saudade daquele tempo!
Saudade "daquela" você. Saudade "daquele" eu.
Saudade "daqueles" nós!
Que vivia intensamente a vida.
Que curtia intensamente o amor!
Sem dar a mínima para as amarras e para os "nós"!
Saudade daqueles nossos sorrisos
Sem se importar com as horas e com os compromissos.
Saudades daqueles nossos encontros furtivos e escondidos!
Onde fazíamos amor de um jeito louco,
Rápido, gostoso e lascivo!
Como era bom quando falávamos
Baixinho ao pé do ouvido
Até fazermos sussurros virar gemidos!
Ah! como era gostoso te amar daquele jeito.
Quase que sem respeito.
Apertando teus seios cheios de anseios
Em meu ansioso peito!
Como era gostoso tomar um cálice
Do doce vinho do desejo na taça do teu umbigo!
Como era prazeroso estar contigo!
Mas... se era tão bom, onde foi parar tudo isto?
Será que se perdeu entre o labirinto das neuras, dos ciúmes 
E das preocupações do dia a dia?
Bom! Se foi isto que ocorreu, façamos um trato:
Passemos nosso amor em limpos pratos!
E chega de viver como cão e gato!
Pois, a vida é bela e isto é fato.
Então, vamos viver como gata e gato!
E parafraseando os "Engenheiros",
Vamos usar nossa "highway" para causar bom impacto.
Porque a vida, meu bem, pode até ser curta
Mas, se resolvermos curtir cada momento dela,
Vamos transformar qualquer nuvem negra
Em uma romântica aquarela!
E tudo aquilo que foi bom no passado
Será vivido de novo no presente
E para sempre, se não dermos nenhum furo,
Por todo o nosso colorido futuro!

Percival Percigo Gomes